IN SAJ

Como a tecnologia aumenta a arrecadação da sua procuradoria

Como a revolução tecnológica impacta na rotina das Procuradorias

Como a revolução tecnológica impacta na rotina das Procuradorias

revolução tecnologica na procuradoria

Inteligência artificial, blockchain, robótica, big data, machine learning, realidade virtual e internet das coisas (IoT, internet of everything, em inglês).

A relação desses conceitos com o universo da Justiça e a revolução tecnológica percebida pelos operadores do Direito serão abordadas na segunda edição do Lawtech Conference. O evento ocorre em São Paulo no próximo dia 15 de maio. Ainda é possível comprar ingressos do segundo lote, a partir de R$ 841,50, aqui.

O evento é voltado aos profissionais da advocacia e demais servidores da área. O objetivo é atualizar os participantes sobre o que há de mais novo na tecnologia para esse segmento. Para isso, vão contar com a expertise das Lawtechs, que são startups ou empresas focadas em produzir serviços para quem lida com o Direito ou com a Justiça.

Na era cognitiva vivida atualmente, em que as máquinas convivem com as pessoas e vice-versa, as tecnologias já são realidade. Elas impactam de maneira irreversível a prestação do serviço jurídico nas mais variadas esferas. Além de facilitar e tornar mais eficientes as rotinas de trabalho, as soluções específicas para esse meio reduzem custos.

Não se trata de substituir advogados, Procuradores ou defensores por robôs. O objetivo é liberar esses profissionais de funções essencialmente mecânicas para que se dediquem a atividades mais intelectuais ou especializadas. Lembre-se: nos “escritórios 2.0”, a tecnologia é suporte que empodera quem a usa.

Neste post, vamos adiantar algumas das tendências da revolução tecnológica no dia a dia de quem atua em uma Procuradoria. Veja:

Revolução tecnológica com o processo digital

O início da modernização na maioria dos setores jurídicos, como as Procuradorias, acontece quando são eliminados os processos em papel. No lugar, surge o processo digital, que traz mais sustentabilidade e celeridade à tramitação processual, além de facilitar a organização de quem deve fazer o acompanhamento dessas demandas.

Pode parecer e é até óbvio mencionar o processo digital. Acontece que esse aspecto é primordial para a escalada da evolução tecnológica nas Procuradorias sem ele, não há como mencionar nenhum outro aspecto de atualização para esse setor. Cumprido o pré-requisito da eliminação da papelada, é possível seguir adiante e contemplar a gestão automatizada da Procuradoria.


Leia também: Como o processo digital na Justiça tramita de forma mais rápida do que os de papel

 

Sistemas de gestão

Softwares específicos de gestão para Procuradorias dão conta de controlar a “entrada” e a “saída” de todos os tipos de processo, sejam de Contencioso, Consultivo ou Execução Fiscal. A única prerrogativa, conforme explicamos acima, é que o trâmite aconteça todo de maneira digital.

O gerenciamento contempla desde a distribuição de determinada ação ao Procurador melhor preparado para atendê-la, passando pela necessidade de manifestação após uma intimação, até, finalmente, à extinção do processo com a decisão judicial. O sistema acrescenta o aspecto da automatização à rotina. É possível, por exemplo, fazer peticionamentos ou ajuizamentos em lote a respeito de matérias semelhantes em que caibam os mesmos pareceres.

Há, ainda, o benefício da integração aos demais sistemas pertencentes ao ecossistema da Justiça. Com o sistema da Procuradoria aliado ao sistema de um Tribunal, por exemplo, é mais simples, seguro e transparente realizar todo e qualquer acompanhamento processual sem a chance de perder algum prazo.

revolução tecnológica nas procuradorias

O Sistema de Automação da Justiça (SAJ) possui todas as funcionalidades de uma solução completa para Procuradorias. Para conhecer o sistema, agende uma demonstração aqui.

 

Biblioteca online

Com tantas informações armazenadas nas soluções de gestão para Procuradorias, é possível pensar na criação de uma verdadeira biblioteca online. Isso acontece quando a tecnologia em uso é capaz de armazenar e disponibilizar esses dados de maneira amigável e intuitiva. Essa ação favorece a cooperação entre os Procuradores, que passam a compartilhar conhecimento de maneira mais natural.

Dessa forma, é possível conhecer com facilidade uma jurisprudência a respeito de determinado caso. Por consequência, a Procuradoria mantém sua postura a partir da criação de uma memória jurídica. A revolução tecnológica, nesse contexto, ainda permite que a “biblioteca” criada inclua legislações, por exemplo. Se preferirem, os Procuradores também podem acrescentar outros assuntos mais amplos que são importantes ao seu trabalho. Um sistema especializado ainda facilita a atualização dos conteúdos dessa biblioteca.

Leia também: 5 ações para transformar a sua Procuradoria

 

Ciência de dados

À medida que uma Procuradoria usa um sistema de gestão, cresce de maneira rápida o volume de dados armazenado. São informações valiosas, que precisam extrapolar relatórios de performance comumente exibidos em lista. Uma série de documentos elaborados ou de processos cadastrados, por exemplo, não refletem o nível de eficácia do órgão. Para lidar com o cenário de grande volume de informação (big data) instaurado é que entra a inteligência artificial.

Plataformas robustas de gestão para Procuradorias transformam-se em ferramentas de análise completas. Elas contemplam análises focadas no passado, presente e futuro da instituição. É possível fazer predições de acontecimentos, tendências e sugestões de ações para os tomadores de decisão. O uso dessas informações traduzidas em dados estruturados, que integra a estratégia de Business Intelligence (BI), traz mais eficiência e reduz a carga de trabalho nas Procuradorias.

No caso do SAJ Procuradorias, por exemplo, os painéis reúnem todas as informações que auxiliam numa gestão otimizada: demanda de processos, Certidões de Dívida Ativa (CDA), processos sem movimentação, etc. Todos esses dados presentes nos processos judiciais, independente da esfera judicial, permitem a customização e a organização da informação, por exemplo: instância, órgão judicial, vara, classe, assunto/matéria, município e por aí vai. Ainda é válido destacar que esses mesmos painéis permitem customização pelo usuário, tanto em termos visuais quanto na aplicação de regras de negócio e em memórias de cálculo específicas. Sendo assim, não há limites para a análise das informações.

 

Conclusão sobre a revolução tecnológica nas Procuradorias

Procuradores interessados em investir na modernização de seus espaços de trabalho devem optar por empresas e soluções que tenham a evolução tecnológica como um serviço nativo. Isso quer dizer que devem optar por soluções que passem por atualizações e melhorias periódicas, com novos módulos, funcionalidades ou demandas trazidas por clientes.

Afinal, a revolução tecnológica é ágil e, portanto, é preciso acompanhá-la para não ficar para trás assim como fez a esfera privada e, aos poucos, tem realizado a iniciativa pública. A manutenção evolutiva também é importante para atender às novas leis ou marcos regulatórios vigentes no país.

Estaremos presentes no Lawtech Conference para participar do debate sobre inovação na Justiça. Se você estiver por lá, não deixe de nos procurar para uma conversa sobre esse universo que nos une.

 

Possui alguma dúvida ou sugestão sobre a revolução tecnológica no contexto das Procuradorias? Escreva abaixo nos comentários. Também não deixe de assinar a newsletter para receber conteúdo atualizado.

Comentar

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios são marcados *